Viva Tavira

A actual cidade de Tavira assenta numa e noutra das margens do rio Asseca e apenas a uns escassos três quilómetros da orla marítima, essa distância, aliás curta, talvez até menor outrora, e sempre franqueável por via fluvial, ofereceu a esse lugar características de porto marítimo que sucessivos povos da Antiguidade aproveitaram. Concretamente se sabe mesmo que no local de uma das modernas freguesias, a da Luz, existiu a pré-romana Balsa, importante cidade a que os Romanos deram, ainda maior alento, fazendo passar por ali uma das suas vias militares e construindo para ela uma ponte. Submergida depois sob as ondas invasoras subsequentes ao domínio dos Romanos, a povoação esteve desde o começo do século VIII submetida ao dos árabes berberes, tendo então adquirido, segundo parece, o nome que actualmente tem.
Conquistada pelos Portugueses, juntamente com outras terras do Algarve oriental, em 1238 ou 1239, Tavira não mais deixou de crescer em importância económica e mesmo política; D. Sancho II incorporou-a nos bens da Ordem de Santiago em 1244; D. Afonso III concedeu-lhe o seu primeiro foral, em diploma aliás não datado; e D. Dinis ampliou em 1303 esses privilégios; D. Manuel deu-lhe foral novo em 1504 e a categoria de cidade em 1520; D. João III e D. João IV confirmaram os seus privilégios.(...)

in: Castelos de Portugal

Apontamento sobre Tavira